“Crédito ou Débito?”


“Crédito ou Débito?”
Ibratan Ilimitada
Análise de Crédito
Comentários

Basta entregar o cartão para qualquer atendente de caixa e a próxima pergunta é sempre essa. Nesse momento vem o saldo da conta, a próxima fatura do cartão, alguma grande parcela que está por “cair” do cartão de crédito e algum outro presente que eventualmente se compra.

A questão de verdade é “endividar-se: sim ou não?”. Cartão de crédito é uma forma de dívida, pois você só paga no mês que vem. Qualquer economista consciente vai sugerir que as compras sejam feitas no débito ou em somente uma parcela usando-se do crédito. A palavra-chave é controle.

O incremento no número de parcelas, mais todas as compras que fazemos no dia a dia podem rapidamente fazer-nos perder o controle da fatura de um cartão de crédito. É melhor utilizá-lo para parcelar compras estritamente necessárias e no menor número possível de parcelas, pois às vezes termina-se a garantia de produto, ele quebra e ainda não terminamos de pagá-lo. Uma tristeza e acontece com muita gente.

Os cartões de crédito oferecem um serviço de milhagens, que você pode trocar por passagens de avião, por exemplo ou demais tipos de mercadorias, mas para isso você precisa consumir bastante no crédito e é bom ficar de olho nas faturas pois, se não, terá uma passagem comprada em milhas e nenhum dinheiro para gastar quando chegar no destino. Seria uma péssima troca, não?

A questão “crédito ou débito” é, no fundo, comportamental. Se você tem um cartão e sabe usá-lo com consciência, sendo disciplinado em avaliar os seus gastos, periodicamente, acompanhando-os com cuidado, é possível utilizar somente o cartão de crédito, acumular as famosas milhas – até chegar nas bandeiras mais interessantes – e ficar feliz da vida.

Para isso ou você controla seus gastos, ou controla os seus gastos. Não existe outra saída. Até porque, utilizar um Crédito Rotativo ao não quitar totalmente a fatura do seu cartão é um pesadelo. Os juros são extremamente violentos, mesmo para quem tem dinheiro “sobrando”, pois o Crédito Rotativo “dá um jeito” rapidinho nas suas reservas. Fuja dele.

Do mesmo modo que qualquer produto bancário: financiamento, empréstimo, o crédito é uma ferramenta muito interessante, oferecida pelas instituições para os seus usos devidos. A questão é que no papel os juros não fazem sofrer. Agora, quando eles incidem sobre as suas dívidas, você não poderá ignorá-los. E a culpa não é “do banco”, não. Todos assinamos contratos onde os juros estavam ali a ser lidos.

Em resumo, é melhor ter prudência e disciplina quando se lida com dinheiro. Mesmo que hoje ele esteja em forma de plástico. Talvez especialmente se ele estiver em forma de plástico.

Agora, vamos lá. Você é dona ou dono de si! Então utilize o seu cartão de crédito, seus limites vão ser ampliados, você pontua milhas e logo estará ganhando muitos mimos do seu banco. Mas cuidado com as contas.

E então? Crédito ou débito?

Sucesso!